quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

A educação, o povo e o desperdício de dinheiro público

Muito se fala da corrupção no Brasil, mas o que ninguém lembra é que o político um dia fez parte do povo e se observarmos um pouco o povo nas ruas veremos a falta de consciência no trânsito, em vagas para idosos e deficientes, o vandalismo com o patrimônio público. Isso também é um tipo de corrupção. Tudo o que é público é de todos, todos pagaram com impostos, mas parece que isso não faz parte da mentalidade de grande parte do povo brasileiro.
Vemos nas escolas públicas a falta de educação de nossas crianças e adolescentes desde o simples tom de voz até o desrespeito com colegas, funcionários e docentes.
No Estado de São Paulo o material escolar é gratuito, distribuído a todos, contudo se vê muitos adolescentes, por nada, quebrando lápis e réguas dizendo que aquilo não é deles, é do governo. Ora aquilo foi pago com dinheiro público e então isso seria desperdício de dinheiro público, usar o dinheiro público para o que não interessa como fazem os corruptos. O mesmo acontece com pessoas que recebem o Bolsa Família e com ela acabam comprando coisas supérfluas como celulares e carros.
Indo ainda mais longe, é fácil  notar muitas leis sendo desrespeitadas em benefício próprio.
Obviamente que isso só vai mudar quando a mentalidade mudar, daí teremos pessoas sem índole de corruptas, de querer ganhar sempre chegando à política.
A educação de casa precisa mudar para que realmente tenhamos jovens de boa moral, que cheguem à escola para fazer o que realmente é importante fazer, que tenham vontade de estudar e mudar o país. Enquanto isso não acontece, o desperdício do dinheiro público continuará em todas as esferas.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Escolarização X educação

Todos aprendemos. Aprendemos a falar, a andar, a conviver em sociedade. Tudo isso acontece no seio da família e é chamado de educação.

Depois de um certo tempo começamos a frequentar a escola e temos contato com diversos tipos de conhecimentos científicos, sobre a nossa língua, a nossa história, o nosso meio, o mundo em que vivemos. Isso é chamado de escolarização.

Há, assim, uma grande diferença entre educação e escolarização. Se a criança não tem a educação que vem de casa, ela não convive na escola e não se escolariza.

A escola é justamente mais um lugar de convivência, um lugar de descobertas científicas que abrem janelas para um universo bem maior além de preparar para a vida acadêmica e para o trabalho.
Educadores são os pais, a família que ensina a moral. Professores são profissionais formados que ensinam a criança a buscar o conhecimento, a obter esse conhecimento e a usar esse conhecimento em sua vida.

Talvez por isso houve uma época em que os alunos de Pedagogia da USP usassem uma camiseta onde estava escrito: “Educador não. Professor sim”.

Está nas leis brasileiras a responsabilidade da família por educar. Não adianta querer passar esse papel para a escola. São papéis diferentes e sem a educação de casa a escola não funciona. O aluno não aprende.