quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Segregação tecnológica




A sociedade vai mudando e sendo moldada pela tecnologia. Antigamente, quando não existia internet, nem celular, nem TV a cabo, nem computador, as pessoas conversavam mais, principalmente as famílias que sentavam à mesa na hora pelo menos da janta e do almoço nos finais de semana.

Hoje as pessoas saem juntas, para comerem juntas, vão a um bar ou restaurante e cada uma fica no seu celular. Em casa é a mesma coisa, os filhos chegam da escola e vão direto para a frente da TV, computador ou celular. E ninguém tem mais paciência para nada, pois, com a tecnologia é tudo rápido, instantâneo.

Quando falta energia elétrica as pessoas se desesperam, não sabem o que fazer em casa, ficam perdidas sem TV, computador e celular que não tem como carregar a bateria. Por que, então, não sentar com a família e conversar? Por que então não pegar um bom livro de papel e ler? Por que não brincar com os filhos no quintal? Há tantas coisas que dá para se fazer sem depender tanto da tecnologia.

É preciso que pais passem esses exemplos aos filhos, que os ensinem a conversar, a ler, a ter paciência, pois, tudo na vida não é instantâneo como a tecnologia falsamente nos mostra. O mundo real é diferente do virtual.

A tecnologia veio para ajudar, mas o que parece fazer é segregar cada vez mais uma sociedade.

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Para pensar...




É incrível como no Brasil política é igual a futebol, pura diversão, puro fanatismo. As pessoas parecem que não vem a política como um todo e sim como idolatria a uma única pessoa. Como se ela fosse governar sozinha... Como se toda a equipe que foi eleita com ela não contasse... Como se não houvesse interesses... A lei do coitadinho chega até ao mais alto cargo político do Brasil. Uma pessoa sozinha não governa uma nação. Ela tem aliados. É como uma grande empresa. Ninguém vota em santo ou em salvador da pátria. Não se pode se deixar levar pelo carisma de alguém. Na política há muito, mas caráter quase nenhum. Quem faz um país é um povo, se isso não fosse verdade, Berlim não seria o que é hoje, pois, depois da guerra quem a reconstruiu foi o povo, as mulheres do povo. Pode entrar e sair governo que o país não vai melhorar enquanto o povo não tiver educação, respeito às leis, ao que é dele mesmo e a ele mesmo sempre querendo dar um jeitinho. Enquanto o povo não se ver como um povo indígena, descendente de europeus e negros que deve ter igualdade entre si independente da cor da pele. Não adianta protestar, é preciso olhar ao redor e corrigir o que está errado. Esse é o mal do Brasil, esperar que a solução venha sempre só de cima.

Golpe não é porque uma presidente saiu, golpe o próprio povo dá nele mesmo desrespeitando leis ambientais, leis de trânsito, desrespeitando filas especiais para idosos e deficientes físicos. Golpe a sociedade há muito tempo dá no país. A educação que não vem de casa, o desrespeito a falta de moral. Sociedade hipócrita essa que não vê o mal que faz a si mesmo e apenas culpa a política, esquecendo que os políticos também fazem parte da sociedade. É hora de mudar a sociedade, a mentalidade brasileira para que se mude o país. Chega de dar golpe em si mesmo.


É interessante como as pessoas praticam vandalismo, jogam lixo na rua, desrespeitam leis de trânsito, desrespeitam idosos e deficientes... Na educação pública é possível ver o tanto de dinheiro que é desperdiçado com material didático por os próprios estudantes que o destroem. Além de pichar paredes e até colocarem fogo na cortina da sala. E também desperdiçarem comida fazendo guerra com ela. E a culpa é sempre só dos políticos. A impressão que se tem é que nesse país ninguém está nem aí pra nada. .Daí pessoas desse mesmo povo chegam à politica e claro, o que faziam como povo continuarão a fazer como políticos. Um pouco de educação e respeito faria esse país melhorar e muito! Só mudando a mentalidade de um povo é que mudamos um país. Exemplos? Japão, os países da Escandinávia...